Especialistas veem risco governo esperar nível de represas cair a 10% para iniciar economia de energia

terça-feira, 27 de janeiro de 2015 14:31 BRST
 

Por Anna Flávia Rochas e Leonardo Goy

SÃO PAULO/BRASÍLIA (Reuters) - O governo federal não deveria esperar que o nível das represas de hidrelétricas caia a 10 por cento para iniciar uma campanha para redução de consumo de energia no Brasil, já que a esse nível o risco para o fornecimento de eletricidade é maior, segundo especialistas do setor.

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, admitiu na semana passada que o país precisaria de um racionamento de energia caso o nível de água das represas caísse a 10 por cento. Mas esperar que os reservatórios cheguem a esse patamar para tomar uma medida de economia de energia pode não garantir a recuperação das represas e eleva o risco de apagões, disseram analistas e observadores do setor.

Representantes do Ministério de Minas e Energia não puderam comentar o assunto nesta terça-feira.

Porém, dentro do governo federal, a expectativa é que os reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste cheguem em abril com cerca de 30 por cento da capacidade de armazenamento. Esse patamar, segundo uma fonte do governo, seria suficiente para as represas atravessarem o tradicional período de estiagem e chegarem a novembro, quando em tese voltam as chuvas, ainda acima do limite de 10 por cento.

Entretanto, previsões para a situação dos reservatórios das hidrelétricas do Sudeste do país em janeiro pioraram e as condições do período úmido atual têm se mostrado mais desfavoráveis do que no ano passado, frustrando expectativas iniciais de meteorologistas e do setor elétrico.

Atualmente, o nível médio das represas da região Sudeste, que concentra alguns dos principais reservatórios de hidrelétricas do país e é o maior centro de consumo de eletricidade do país, está em 17,07 por cento, marca que já representa riscos, segundo os especialistas. Vários reservatórios da região já exibem nível zero, segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

A região Nordeste, em pior situação, tem o nível das represas em 16,88 por cento.

Em 2001, o nível das represas do Sudeste estavam em 32,18 por cento ao final do período chuvoso, em abril, sendo que em meados desse mês foi iniciada uma campanha publicitária oficial para pedir à população que economizasse energia elétrica.   Continuação...