Sony cortará mais 1.000 postos de trabalho em divisão de celulares, dizem fontes

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015 10:27 BRST
 

TÓQUIO (Reuters) - A Sony planeja cortar cerca de 1.000 empregos adicionais na divisão de celulares em uma tentativa de recuperar a lucratividade da operação, afirmaram fontes nesta quarta-feira.

A companhia, que reduziu projeções de resultado por seis vezes, previu um prejuízo líquido de 230 bilhões de ienes (1,95 bilhão de dólares) para o ano fiscal que se encerra em março. A empresa suspendeu pagamento de dividendos pela primeira vez diante da fraqueza da divisão de celulares.

Os cortes de posições se somarão aos 1.000 empregos que a Sony já havia afirmado que iria eliminar na unidade de celulares, afirmaram as fontes.

O jornal de negócios Nikkei afirmou que os cortes de vagas ocorrerão principalmente na Europa e China. As reduções de pessoal serão anunciadas quando a Sony divulgar o relatório trimestral de desempenho, em 4 de fevereiro, afirmou o jornal.

Com isso, a força de trabalho da divisão de telefonia celular da Sony vai encolher em cerca de 30 por cento, para 5 mil posições, até o final do ano fiscal que se encerra em março de 2016.

A empresa tem enfrentado dificuldades para ganhar mercado em smartphones sofisticados, ficando bem atrás das líderes Samsung e Apple.

Uma representante da Sony não comentou o assunto, se limitando a reiterar os planos da companhia de anunciar até o final do ano fiscal um novo plano de negócios para o médio prazo, que incluirá uma reestruturação do grupo.

(Por Reiji Murai e Ritsuko Ando)