Ex-ministros no Conselho barraram grandes baixas contábeis por Petrobras, diz fonte

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015 18:06 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os ex-ministros Guido Mantega e Miriam Belchior, chairman e conselheira da Petrobras, pressionaram o colegiado, reunido na terça-feira, a não aceitar grandes baixas contábeis em ativos da estatal que poderiam ser percebidas como integralmente relacionadas às denúncias de corrupção na estatal, disse nesta quarta-feira uma fonte com conhecimento direto do assunto.

A Petrobras divulgou na madrugada desta quarta-feira o balanço não auditado do terceiro trimestre de 2014 sem incluir baixas contábeis relacionadas à corrupção apontada pela Operação Lava Jato da Polícia Federal, frustrando expectativas de analistas e investidores.

O Conselho, reunido na sexta-feira passada sem a presença de Mantega e Miriam, havia decidido oficializar as baixas contábeis, mas os ex-ministros reverteram a decisão no longo e tenso encontro de terça, disse a fonte, que pediu para não ser identificada.

"Essencialmente, o governo não queria que as baixas contábeis fossem interpretadas como totalmente relacionadas à corrupção", disse a fonte à Reuters.

(Reportagem de Jeb Blount)

 
Sede da Petrobras no Rio de Janeiro. 16/12/2014 REUTERS/Sergio Moraes