28 de Janeiro de 2015 / às 23:54 / 3 anos atrás

Fibria fatura mais no 4º tri, mas alta do dólar dita prejuízo de R$128 mi

SÃO PAULO (Reuters) - A Fibria, maior produtora de celulose de eucalipto do mundo, anunciou resultados operacionais robustos nesta quarta-feira, refletindo aumento do preço da commodity.

Mas o mesma alta do dólar que impulsionou sua receita também levou a companhia a prejuízo no período, embora o resultado negativo tenha sido menor que o esperado pelo mercado.

A empresa reportou prejuízo líquido de 128 milhões de reais no período. A previsão média de analistas consultados pela Reuters apontava para prejuízo líquido de 185,25 milhões de reais. Em igual etapa de 2013, a empresa tivera prejuízo líquido de 185 milhões de reais.

A valorização do dólar contra o real no trimestre contribuiu para que o preço médio líquido em reais da celulose vendida subisse 12 por cento.

Além disso, o resultado operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) ajustado bateu o recorde de 906 milhões de reais, alta de 10 por cento no comparativo anual. A margem Ebitda subiu 3 pontos percentuais ano a ano, a 45 por cento.

A receita líquida somou 2,001 bilhões de reais no trimestre, alta de 2 por cento ante igual etapa de 2013. Isso mesmo com a queda de 2 por cento no volume de vendas na mesma comparação. A produção de celulose foi 2 por cento superior.

A Fibria teve de outubro a dezembro um resultado financeiro negativo de 611 milhões reais, impactado pela alta do dólar sobre a dívida, mesmo após a dívida líquida da companhia em dólares ter caído 15 por cento em 12 meses, a 2,84 bilhões.

A Fibria disse que os fundamentos positivos do lado da demanda permitiram que a companhia anunciasse um novo aumento de preços a partir deste mês, a 770 dólares/tonelada para a Europa.

O custo caixa de produção subiu 1 por cento ante igual período de 2013, a 472 reais por tonelada. Na base sequencial, houve queda de 6 por cento, devido à ausência de paradas programadas para manutenção, melhor resultado com venda de energia, menor consumo de energia e custo com madeira.

A Fibria avisou que seu Conselho de Administração aprovou pagar 36,9 milhões de reais em dividendos a acionistas.

2015

A empresa afirmou que seguirá buscando opções para minimizar a estrutura de custos e manter o aumento do custo caixa de produção em 2015 abaixo da inflação.

“A companhia está preparada para enfrentar qualquer cenário adverso com a possibilidade de racionamento de energia elétrica em 2015, tendo em vista que é autossuficiente”, disse a Fibria em comunicado. No ano passado, a empresa produziu 117 por cento da energia de que precisou na produção.

Por Aluisio Alves; Edição de Luciana Bruno

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below