Desemprego no Brasil recua a 4,3% em dezembro mas cenário é de fragilidade

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015 12:05 BRST
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - O desemprego brasileiro caiu a 4,3 por cento em dezembro e igualou a mínima histórica, mas a principal razão para isso foi a menor procura por trabalho, com o mercado dando sinais de esgotamento ao registrar redução de vagas no ano pela primeira vez em uma década.

A taxa de dezembro da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) divulgada nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ficou 0,5 ponto percentual abaixo da que foi vista em novembro, e também aquém da mediana das expectativas em pesquisa da Reuters, de 4,6 por cento.

O resultado mensal igualou o menor patamar da série registrado em dezembro de 2013, e com isso a taxa média de desemprego do ano passado ficou em 4,8 por cento, também marcando o menor nível histórico, abaixo dos 5,4 por cento vistos em 2013.

Mas, embora a taxa de desemprego calculada pela PME permaneça em patamares historicamente baixos, o mercado de trabalho brasileiro vem mostrando sinais de exaustão diante da fragilidade da economia, da inflação alta e dos juros elevados.

"Apesar de o número aparentar uma situação melhor, não é. A atividade econômica está fraca e isso se reflete no mercado de trabalho com demissões", avaliou a economista da Tendências Alessandra Ribeiro.

Além disso, argumentou, "a tendência é que a população economicamente ativa volte para o mercado de trabalho", aumentando o número de pessoas procurando empregos.

Ela estima aumento da taxa média de desemprego para 6,3 por cento em 2015 diante de uma contração do Produto Interno Bruto (PIB) de 0,5 por cento no ano.

O país criou menos de 400 mil postos de trabalho com carteira assinada em 2014, segundo o Ministério do Trabalho, o pior desempenho em 12 anos, apontando para mais um ano fraco em 2015.   Continuação...

 
Vagas de trabalho oferecidas em anúncios no centro de São Paulo. 19/11/2014 REUTERS/Paulo Whitaker