Brasil fecha 2014 com déficit primário de R$32,5 bi, o 1º em mais de 10 anos

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015 14:06 BRST
 

Por Luciana Otoni e Flavia Bohone

BRASÍLIA (Reuters) - Pela primeira vez em mais de dez anos, o setor público brasileiro não conseguiu fazer economia para pagar juros da dívida em 2014, consequência da fraca atividade econômica e mau gerenciamento das contas públicas num desempenho que sinaliza um ano difícil também em 2015.

O país registrou déficit primário de 32,536 bilhões de reais no ano passado, informou o Banco Central nesta sexta-feira, o primeiro resultado negativo desde o início da série histórica, em 2001. Com isso, o saldo primário negativo foi equivalente a 0,63 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), também o pior já registrado. Em 2013, o setor público registrou superávit primário de 91,3 bilhões de reais, ou 1,88 por cento do PIB.

Só em dezembro, o déficit primário somou 12,894 bilhões de reais, muito pior que o esperado por analistas consultados pela Reuters, cuja mediana apontava saldo positivo de 11,6 bilhões de reais..

O setor público consolidado (governo central, Estados, municípios e estatais) não cumpre a meta de superávit primário desde 2012. Para 2014, o governo limou o objetivo ao conseguir aprovar no Congresso Nacional mudança na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Por isso, ninguém do Executivo sofrerá penalidades pelos maus resultados.

"O governo não ajustou as projeções fiscais em um quadro adverso do ano passado. Deveria ter revertido desonerações e não fez dado a iminência do quadro eleitoral", disse o especialista em contas públicas Felipe Salto.

No ano passado, o governo central (governo federal, INSS e BC) registrou déficit primário de 20,472 bilhões de reais, neste caso o primeiro desde 1997, quando o saldo ficou negativo em 2,375 bilhões de reais.

Já os governo regionais (Estados e municípios) apresentaram déficit primário de 7,790 bilhões de reais em 2014, o primeiro desde 1998 (-1,731 bilhão de reais), enquanto as empresas estatais tiveram resultado fiscal negativo de 4,274 bilhões de reais.

Com isso, o déficit nominal --receitas menos despesas, incluindo pagamento de juros-- do país foi a 343,916 bilhões de reais em 2014, equivalente a 6,70 por cento do PIB, mais do que o dobro do visto no ano anterior, de 3,25 por cento, e um recorde histórico.   Continuação...

 
Banco Central, em Brasília. 15/1/2014 REUTERS/Ueslei Marcelino