McDonald's vai desacelerar expansão na Rússia devido à queda do rublo

sábado, 31 de janeiro de 2015 16:08 BRST
 

Por Maria Kiselyova

MOSCOU (Reuters) - O McDonald's abrirá menos restaurantes na Rússia este ano em relação ao que no ano passado por causa da queda no rublo que aumentou os custos de expansão e está prejudicando os consumidores, disse o presidente-executivo da divisão russa, Khamzat Khasbulatov, à Reuters.

O rublo, influenciado por uma queda nos preços do petróleo e pelas sanções do Ocidente devido à situação com a Ucrânia, caiu mais de 50 por cento desde o início de 2014, pressionando a inflação. A Rússia agora enfrenta sua primeira recessão desde 2009.

O McDonald's abrirá pelo menos 50 restaurantes na Rússia, em comparação com 73 no ano passado, destinando 6 bilhões de rublos (87 milhões de dólares) para despesas de capital, a mesma quantidade de 2014, Khasbulatov disse em uma entrevista.

"Há um componente importante da moeda nas novas aberturas. Dadas as condições atuais de fazer negócios na Rússia... estamos satisfeitos que os recursos de investimento que tenham sido alocados permaneceram no mesmo patamar do ano passado", disse ele neste sábado.

A rede de fast-food dos Estados Unidos, que atua na Rússia há 25 anos, foi atingida por uma série de inspeções pelo regulador do Estado no ano passado, o que foi amplamente visto como retaliação a sanções do Ocidente contra Moscou sobre o seu papel na crise da Ucrânia.

Estas inspeções levaram ao fechamento temporário de 12 restaurantes, incluindo o mais movimentado do mundo, na praça Pushkin, em Moscou.

Khasbulatov disse que a empresa havia se aproveitado de alguns dos fechamentos para modernizar os restaurantes. Todos foram reabertos, mas suas vendas ainda têm de recuperar os níveis pré-fechamento.

Khasbulatov disse que o McDonald's não mudou sua atitude em relação ao mercado.

"Novos restaurantes devem atingir as nossas expectativas de rentabilidade. (Menos aberturas) é apenas uma questão de ter um negócio saudável", disse ele.