Petrobras tem maior alta em 16 anos e Bovespa encosta em 49 mil pontos

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015 20:42 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou em alta pelo segundo pregão consecutivo nesta terça-feira, guiada pelo forte avanço de Petrobras, o maior em 16 anos, após notícia sobre possível mudança no comando da estatal e repercussão positiva do resultado trimestral acima do esperado do Itaú Unibanco.

O Ibovespa encerrou em alta de 2,76 por cento, a 48.963 pontos, muito próximo da máxima do dia, a 48.992 pontos. O volume financeiro da sessão somou 7,3 bilhões de reais.

O site do jornal Folha de S.Paulo informou no fim da manhã, sem citar fontes, que a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, foi informada pelo Palácio do Planalto que será substituída no cargo, fazendo os papéis da estatal aceleraram a alta verificada desde a abertura.

Nem a negativa da Secretaria de Imprensa do Planalto para a notícia tirou ímpeto das ações, que terminaram com altas de dois dígitos, a despeito de novo corte do rating da estatal, desta vez pela Fitch.

As preferenciais subiram 15,47 por cento, maior alta desde 15 de janeiro de 1999. Os papéis ON fecharam com alta de 14,24 por cento.

O mercado fechou com a informação de que Graça Foster estava reunida com presidente Dilma Rousseff em Brasília.

"Isso é definitivamente positivo para o preço das ações da Petrobras e para a empresa no curto e longo prazos", disse o analista Auro Rozenbaum do Bradesco BBI, referindo-se às notícias sobre mudanças na direção da companhia.

Em nota a clientes, ele observou que o envolvimento de Joaquim Levy no processo de seleção, conforme também informara a Folha mais cedo, trazia credibilidade e que, se o sucessor de Graça vir a ser um executivo experiente e bem conhecido, pode haver um espaço de alta potencial no curto prazo para o papel.   Continuação...

 
Sede da Petrobras no Rio de Janeiro. 16/12/2014 REUTERS/Sergio Moraes