CME encerra uma era ao fechar pregões viva voz em bolsas de futuros

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 12:29 BRST
 

(Reuters) - A maior operadora de bolsas de futuros vai fechar quase todos os seus pregões viva voz até 2 de julho, soando a sirene de encerramento para o que já foi uma barulhenta tradição, mas que está em declínio desde o advento das negociações eletrônicas.

A decisão do CME Group, anunciada na quarta-feira, retira da atividade operadores de produtos que vão desde grãos até gado, em Chicago, e de ouro a petróleo, em Nova York.

Já houve um tempo em que a única maneira de comprar ou vender contratos futuros para se proteger de oscilações de preços era a negociação nos pregões viva voz.

Mas o método hoje representa apenas um por cento do volume total de contratos futuros negociados, segundo a operadora de bolsas.

Os pregões viva voz de opções, que se mantiveram ativos mesmo com as negociações eletrônicas, deverão ficar quase todos abertos nas duas cidades.

A CME deverá dar mais detalhes da decisão nesta quinta-feira, em sua divulgação de resultados.

Os operadores já estavam se preparando para o fechamento dos pregões viva voz ao longo dos últimos anos, em meio à gradual migração dos negócios para os meios eletrônicos.

Mesmo assim, muitos se dizem desapontados com o fato de que o dia finalmente chegou, levando incertezas sobre o futuro.

"Nós todos sabíamos que o fim estava chegando", disse Jerry Israelov, que passou os últimos 25 anos trabalhando nos pregões viva voz em Chicago.   Continuação...