Ministros das Finanças do G20 devem focar em número menor de prioridades para crescimento

domingo, 8 de fevereiro de 2015 14:12 BRST
 

Por Jan Strupczewski

ISTAMBUL (Reuters) - Os líderes globais da área econômica devem concordar na terça-feira em cortar o número de ações para 5 a 10 prioridades por país neste ano para impulsionar o crescimento, com o objetivo de facilitar a verificação do que está sendo cumprido, disseram autoridades europeias.

As 20 maiores economias em desenvolvimento e desenvolvidas do mundo (G20) reúnem-se em Istambul.

No ano passado, concordaram em lançar novas medidas para aumentar o crescimento Produto Interno Bruto (PIB) coletivo em mais 2 pontos percentuais ao longo dos próximos cinco anos, acima do nível projetado em 2013, e criar milhões de novos postos de trabalho.

A promessa, chamada de Plano de Ação de Brisbane, reúne cerca de 1.000 compromissos. Já que a verificação da aplicação desse número de compromissos seria muito difícil, os ministros das Finanças do G20 e diretores de Bancos Centrais vão concordar em restringi-los a um punhado neste ano, para que possam ser checados.

"Apoiamos a intenção da Presidência (turca do G20) de que os membros do G20 concordem em uma lista de medidas com maior impacto para o crescimento, na qual o monitoramento se concentraria... tendo a devida consideração quanto ao seu impacto individual e coletivo na demanda global", informou um documento preparado pelos ministros das Finanças da União Europeia para a reunião do G20.

"Acreditamos que, em fevereiro, os ministros devem avaliar possíveis lacunas nas políticas e confirmar as prioridades para as estratégias de crescimento em 2015."

As instituições internacionais - o Fundo Monetário Internacional (FMI) e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) – vão negociar as prioridades com cada país, disseram autoridades europeias do G20.

"Há um acordo para reduzir o foco dos quase 1.000 compromissos que foram acertados para 5 a 10 para cada país nesse ínterim", disse uma autoridade do G20.   Continuação...