StanChart mira clientes de maior renda em reformulação de banco de varejo

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015 11:14 BRST
 

HONG KONG (Reuters) - O Standard Chartered mudará seu foco de banco de varejo de clientes comuns para clientes de maior renda e os encorajará a usar serviços bancários online como parte de uma reestruturação mais ampla liderada pelo presidente-executivo, Peter Sands, disse uma executiva sênior à Reuters.

O negócio de varejo do StanChart é uma das primeiras divisões que o banco focado na Ásia mirou com cortes, anunciando no mês passado que cortaria 4 mil vagas no varejo, ou 5 por cento da força de trabalho global, e fecharia entre 80 e 100 agências.

Os cortes de custos e a mudança para clientes de maior renda na Ásia, Oriente Médio e África surgem à medida que Sands, que alguns investidores gostariam que fosse substituído, sofre cada vez mais pressão para reavivar os resultados do banco após dois anos atribulados.

"Estamos nos afastando de clientes que querem apenas um empréstimo pessoal e em direção àqueles que vão comprar vários produtos", disse à Reuters a chefe global de clientes de varejo do StanChart, Karen Fawcett, em entrevista nesta segunda-feira.

A unidade de varejo do banco responde por 30 por cento de suas receitas. Clientes de maior renda e empresariais representam apenas um quinto dos 10,4 milhões de clientes de varejo, mas respondem por cerca da metade dos lucros da unidade.

As receitas destes clientes cresceram 10 por cento nos últimos anos, ante crescimento zero para receita de clientes de menor renda, disse Fawcett.

Em meio a pedidos de alguns dos principais investidores do banco para Sands deixe o cargo, a Sky News divulgou na sexta-feira que o executivo disse a funcionários seniores numa teleconferência interna na semana passada que o planejamento para a sucessão já começou.

(Por Lawrence White)