Funcionários da Petrobras elegem nome da FUP, ligada ao PT, para Conselho de Administração

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015 12:51 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O coordenador-geral do Sindipetro Bahia, Deyvid Bacelar, apoiado pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), venceu a disputa para representar os funcionários da Petrobras em 2015 no Conselho de Administração (CA), em um dos momentos mais delicados já enfrentados pela petroleira estatal.

Bacelar, que tem o aval da maior federação de trabalhadores da Petrobras, historicamente ligada ao PT, venceu no segundo turno das eleições o atual conselheiro, Silvio Sinedino, com 6.864 votos dos votos, ou 57,83 por cento. A apuração dos votos do segundo turno, que terminou no domingo, foi realizada nesta segunda-feira.

Sinedino, que é filiado à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), uma entidade com menos sindicatos filiados do que a FUP, demonstrou independência em vários episódios, como na última reunião de conselho, na qual votou contra os nomes propostos por representantes do governo para a diretoria. Ele ocupou a importante cadeira em 2012 e em 2014.

A posse de Bacelar, eleito para um mandato de um ano, será na primeira reunião do conselho após a sua eleição formal, prevista para acontecer na Assembleia Geral dos Acionistas da Petrobras, quando também são definidos outros conselheiros da companhia.

É a quarta vez que um empregado é eleito para o conselho com a função de representar funcionários. Mas um nome da FUP, em tese, pode aumentar a influência do governo petista no colegiado.

O conselho da Petrobras é formado por dez membros, sendo sete indicados pelo governo, um pelos acionistas minoritários de ações ordinárias, um pelos acionistas de preferenciais e um pelos empregados.

Nas eleições deste ano, segundo a Petrobras, 138 candidatos concorreram à vaga para representar os funcionários.

Durante as eleições, Bacelar propôs aos funcionários a criação de um canal de comunicação direto com a categoria, pessoalmente e também por meio de redes sociais, e-mail e site, como forma de prestar contas da atuação no conselho.

Além disso, Bacelar planeja levar para o conselho demandas colocadas pelos trabalhadores sobre as questões de saúde, meio ambiente e segurança e dar continuidade à atuação junto ao Congresso Nacional para a implementação do projeto de lei que permite a ampliação do mandato para dois anos.

(Por Marta Nogueira)

 
Sede da Petrobras no Rio de Janeiro. 29/1/2015 REUTERS/Sergio Moraes