Montadoras ficam para trás na proteção de segurança e privacidade de carros, diz relatório

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015 14:46 BRST
 

(Reuters) - A disseminação da tecnologia conectando veículos à Internet está avançando a um ritmo maior que os esforços da indústria automotiva e do governo para proteger veículos contra hackers, aumentando receios acerca da privacidade de dados, segundo um relatório feito pela equipe do senador norte-americano Ed Markey.

O relatório, baseado em respostas de 16 montadoras para questões feitas pelo democrata de Massachusetts, conclui que enquanto quase 100 por cento dos veículos novos no mercado contêm algum tipo de tecnologia de comunicação sem fio, medidas de segurança para prevenir ataque eletrônicos a veículos são "inconsistentes e aleatórias" na indústria.

Apenas duas das montadoras participantes disseram que poderiam responder a uma investida para invadir sistemas de dados a bordo "em tempo real", segundo o relatório de Markey.

O relatório também levantou questões sobre privacidade, destacando que montadoras estão coletando e usando grandes quantidades de dados de condução, em muitos casos armazenando os dados com terceiros.

Os consumidores "muitas vezes não são informados da coleta de dados, e quando são, normalmente não podem optar por não participar sem desabilitar recursos valiosos como navegação", de acordo com o relatório, que foi divulgado pelo programa "Sixty Minutes" do canal norte-americano CBS no domingo.

Markey é membro do comitê de comércio do Senado dos EUA com jurisdição sobre telecomunicações e a indústria automotiva. O relatório levanta potencial para maior escrutínio regulatório sobre os sistemas conectados de veículos, instando a Administração National de Segurança de Tráfego dos Estados Unidos e a Comissão Federal de Comércio a "promulgar novos padrões para proteger os dados, a segurança e a privacidade de motoristas".

(Por Joe White)