CEO de private bank do HSBC diz que não há lugar para práticas antigas

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015 12:57 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O chefe do private bank do HSBC disse a funcionários que práticas antigas, que podem ter permitido que alguns clientes cometessem evasão fiscal, são inaceitáveis e que o banco não tem apetite para lidar com tais clientes.

"As práticas e o modelo bancário dessa época não são mais aceitáveis", disse o presidente-executivo do Global Private Banking do HSBC desde dezembro de 2012, Peter Boyles, em memorando aos funcionários.

"Nossos clientes querem saber que mudamos e que as práticas antigas sobre as quais leram nos jornais não tem lugar em nosso private bank moderno. E do nosso lado não temos absolutamente qualquer apetite para lidar com clientes ou potenciais clientes que estão cometendo evasão fiscal ou que não consigam atender nossos padrões de adequação contra crimes financeiros", disse uma pessoa familiar com o conteúdo do memorando à Reuters nesta terça-feira.

O HSBC admitiu no domingo falhas em adequação e controle em seu private bank suíço e enfrenta investigação de autoridades dos Estados Unidos, além de um inquérito de legisladores britânicos, após notícias na mídia alegarem que a instituição ajudou clientes ricos a esconderem milhões de dólares em ativos durante um período até 2007.

Boyles disse no memorando que o HSBC adotou passos significativos para transformar seu private bank suíço e implementar padrões globais e iniciativas de transparência fiscal.

(Por Steve Slater)