BB supera previsão de lucro no 4º tri, mas crédito cresce apenas um dígito em 2014

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015 08:47 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco do Brasil teve lucro recorrente acima do previsto no quarto trimestre, mas viu sua carteira de crédito crescer apenas um dígito em 2014, situação que pode se repetir neste ano, segundo suas próprias previsões.

O maior banco do país por ativos informou nesta terça-feira que seu lucro líquido somou 2,959 bilhões de reais no período, recuo de 2,2 por cento sobre a mesma etapa do ano anterior.

Em bases recorrentes, o lucro foi de 3,02 bilhões de reais, alta anual de 24,6 por cento. A previsão média de analistas ouvidos pela Reuters era de lucro recorrente de 2,908 bilhões de reais.

A carteira de crédito ampliada do banco fechou 2014 em 760,9 bilhões de reais, avanço de 9,8 por cento em 12 meses, abaixo da previsão feita pelo próprio BB, de alta de 12 a 16 por cento no período. O desempenho ficou aquém do projetado em todas as principais linhas (pessoa física, empresas e agronegócio).

O grupo previu expansão de 7 a 11 por cento da carteira ampliada em 2015. Seus principais rivais Bradesco e Itaú Unibanco estimaram crescimento de até 9 por cento na carteira de crédito, em meio à estagnação da economia do país.

De outubro a dezembro, as despesas do BB com provisões para perdas com inadimplência somaram 5,2 bilhões de reais, um avanço de 24,4 por cento em 12 meses e de 13,8 por cento em relação ao trimestre imediatamente anterior.

Isso aconteceu mesmo após o índice de inadimplência da carteira, medido pelo saldo de operações vencidas com mais de 90 dias, ter tido leve queda na base sequencial, de 2,09 para 2,03 por cento. No último trimestre de 2013, esse indicador fora de 1,98 por cento.

O banco teve o comando trocado na semana passada, após Aldemir Bendine ser nomeado presidente da Petrobras, sendo substituído no BB por Alexandre Abreu.

Além de novo presidente-executivo, o BB também anunciou na véspera dois novos vice-presidentes. José Maurício Pereira Coelho é o vice-presidente de Finanças e de Relações com Investidores, no lugar de Ivan Monteiro, que também deixou o BB para ocupar a mesma função na Petrobras.   Continuação...

 
Homem em frente filial do Banco do Brasil no Rio de Janeiro. 15/12/2014 REUTERS/Pilar Olivares