Novas projeções apontam safra menor de soja no Brasil, mas ainda recorde

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015 13:52 BRST
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - Os danos causados pelo período seco em janeiro em áreas do Centro-Oeste deverão reduzir o potencial da safra brasileira de soja, mas sem ameaça à perspectiva de uma colheita recorde este ano no país, mostra levantamento feito pela Reuters com 17 consultorias e entidades do setor.

A média das projeções aponta uma safra de 93,4 milhões de toneladas de soja na safra 2014/15, bem acima das 86,1 milhões de toneladas da estimativa oficial do governo para a temporada 2013/14.

Um mês atrás, em 9 de janeiro, levantamento semelhante apontava que a safra atual atingiria 94,5 milhões de toneladas, na média de 16 fontes consultadas.

"Em Goiás e no Distrito Federal, onde ocorreram as maiores reduções na produtividade da oleaginosa no país, alguns municípios sofreram intensamente com a falta de chuvas durante estágios sensíveis da lavoura, por um período de aproximadamente 30 dias", disse a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A Conab divulgou nesta quinta-feira relatório em que reduziu sua estimativa para a safra da oleaginosa em 1,34 milhão de toneladas, para 94,58 milhões.

"Houve uma revisão para baixo do potencial produtivo especialmente em Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e Bahia, onde o clima seco e as altas temperaturas geraram maior prejuízo às lavouras. Por outro lado, as boas condições verificadas no Sul do país tendem a proporcionar melhores rendimentos no campo neste ano", disse a consultoria Céleres em relatório publicado este semana.

As estimativas para a safra de soja variam de 91 milhões a 95,2 milhões de toneladas.

A soja é o principal cultivo do Brasil, respondendo também por boa parte das exportações do agronegócio.   Continuação...

 
Vista de plantação de soja na cidade de Primavera do Leste, Mato Grosso. 07/02/2013 REUTERS/Paulo Whitaker