EXCLUSIVO-Brasil vai propor a México adiar livre comércio de veículos, dizem fontes

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015 19:20 BRST
 

Por Ana Isabel Martinez

CIDADE DO MÉXICO/BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil vai propor ao México renegociar o acordo automotivo entre os dois países para manter quotas recíprocas de importação de veículos leves, em vez de retomar em março o sistema de livre comércio, como estava previsto, disseram fontes familiarizadas com o assunto.

O Brasil convidou esta semana uma missão do governo mexicano para uma primeira reunião em Brasília entre os dias 20 e 25 deste mês para discutir o acordo automotivo, modificado em 2012 para a inclusão de cotas.

O ministro da Economia do México, Ildefonso Guajardo, afirmou esta semana que se reuniria com representantes do governo brasileiro no final do mês para tratar do acordo, mas não precisou se o encontro seria no México ou no Brasil.

"O Brasil quer a renegociação do acordo para manter o sistema de cotas e não voltar agora ao livre comércio porque as condições não estão para isso", disse uma das fontes.

O Brasil registrou no ano passado seu primeiro déficit comercial em 14 anos, de 4 bilhões de dólares, em meio à queda dos preços das commodities.

A fonte acrescentou que o Brasil estava analisando a possibilidade de propor ao México um acordo de livre comércio mais amplo para compensar o déficit gerado pelo comércio de veículos, mas ainda não tomou uma decisão final sobre isso.

Representantes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil não puderam ser contatados de imediato para comentar o assunto.

Porém, uma fonte do governo brasileiro afirmou que o Brasil teve em 2014 um déficit de 1,2 bilhão de dólares com o México no comércio de veículos e autopeças.

 
Trabalhadores na fábrica da montadora Ford em São Bernardo do Campo, em São Paulo13,/082013. REUTERS/Nacho Doce