Sony vê salto no lucro operacional até 2018; pode deixar negócios de TVs e celulares

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 11:16 BRST
 

TÓQUIO (Reuters) - A Sony tem como meta elevar o lucro operacional em 25 vezes dentro de três anos através do crescimento das unidades de sensores de câmeras e de PlayStation, disse o presidente-executivo da companhia, Kazuo Hirai, detalhando uma estratégia que pode ver a empresa sair dos disputados negócios de TVs e smartphones.

Hirai disse nesta quarta-feira que a empresa japonesa de eletrônicos para consumidores não vai mais perseguir crescimento de vendas em áreas como de smartphones, na qual tem sofrido concorrência de rivais asiáticas mais baratas e também de líderes da indústria como a Apple e a Samsung.

A Sony, em vez disso, irá focar seus investimentos em negócios mais lucrativos como sensores de câmeras, videogames e entretenimento, conforme busca voltar a crescer após projetar para este ano fiscal o sexto prejuízo líquido em sete anos.

"A estratégia a partir do próximo ano fiscal será sobre gerar lucro e investir para crescer", disse Hirai em coletiva, acrescentando que as unidades da Sony receberão mais autonomia para tomar suas próprias decisões de negócio.

Questionado sobre as unidades de TV e celulares, Hirai disse que não "descartará pensar sobre uma estratégia de saída", a mais clara declaração da Sony até agora sobre a possibilidade de vender ou encontrar parceiros para estas unidades em dificuldades.

A Sony está passando por uma reestruturação que até agora viu a empresa vender sua divisão de computadores pessoais e realizar a cisão de seu negócio de TVs. A companhia também cortou milhares de empregos.

Hirai também disse que a Sony busca registrar um lucro operacional de ao menos 500 bilhões de ienes (4,2 bilhões de dólares) para 2017/18, um salto ante os 20 bilhões de ienes para o ano fiscal encerrado em 31 de março.

(Por Ritsuko Ando)

 
Visitantes em frente ao logo da Sony na sede da empresa, em Tokyo. 04/02/2015 REUTERS/Yuya Shino