Protesto bloqueia parcialmente BR-163 em MT em período de colheita da soja

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 14:10 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Empresários do setor de transportes e caminhoneiros fazem protesto nesta quarta-feira contra os preços dos combustíveis interrompendo o fluxo de caminhões em dois pontos da BR-163, principal rota de escoamento de grãos de Mato Grosso, em um momento em que o trabalho de colheita da nova safra se intensifica.

O tráfego de cargas foi bloqueado esta manhã em Lucas do Rio Verde e Nova Mutum, no médio-norte mato-grossense, informou a Odebrecht Transport, concessionária da rodovia.

O fluxo foi liberado no fim da manhã e deverá ser novamente interrompido no início da tarde, disse a concessionária, por meio da assessoria de imprensa, citando informações dadas pelos manifestantes.

Não houve formação de filas pela manhã porque a circulação de caminhões era pequena devido a limitações impostas a caminhões pela polícia rodoviária durante o período de carnaval.

A previsão da concessionária é que filas podem eventualmente se formar à tarde com o fim das restrições aos caminhões durante o feriadão.

A BR-163 é a principal rota de escoamento de grãos de Mato Grosso. Pela rodovia deverão passar mais de 19 milhões de toneladas de soja só neste primeiro semestre, ou 70 por cento da safra do Estado, pelos cálculos da concessionária.

Os produtores de Mato Grosso colheram até semana passada um quinto das lavouras de soja plantadas na safra 2014/15, segundo o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea). O escoamento da safra pelas rodovias já começou, mas deverá ter seu auge a partir de março.

Os manifestantes reclamam do preço do diesel, que sofreu reajuste em 1º de fevereiro após um aumento de impostos pelo governo federal.

Não havia informações sobre a manutenção do protesto nos próximos dias.

(Por Gustavo Bonato)