Bovespa fecha estável, com queda da Petrobras e Vale ofuscando alta de educação

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 18:14 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista fechou praticamente estável nesta quinta-feira, mantendo a sequência positiva que já alcança quatro pregões, mas novamente com giro financeiro abaixo da média, evidenciando a cautela dos investidores em relação ao recente rali.

As ações de educação lideraram a alta do Ibovespa, em meio a cobertura de posições vendidas e busca por barganhas. Mas o movimento de realização de lucro com as ações da Petrobras e Vale pressionou o principal índice da Bovespa, que fechou com variação positiva de 0,03 por cento, a 51.294 pontos.

O volume financeiro da sessão foi de apenas 4,7 bilhões de reais, abaixo da média do mês, de 7,8 bilhões de reais.

Na visão do trader Thiago Montenegro, da Quantitas Asset Management, o segmento de commodities vem apresentando bastante volatilidade, característica de um mercado em busca de um piso e de reversão, o que explica a volatilidade na bolsa local, em especial dos papéis da Vale e Petrobras.

No caso da estatal, as preferenciais caíram 3,66 por cento, acompanhando o declínio do petróleo, mas ainda acumulam em fevereiro alta de quase 20 por cento.

As preferenciais da Vale fecharam em queda de 2,51 por cento, em sessão que incluiu dados de produção da mineradora, considerados de modo geral neutros por analistas.

Montenegro, da Quantitas, ressaltou que o fluxo de estrangeiro tem sido consistente desde o início do ano, o que ajuda a explicar o desempenho da Bovespa no acumulado do ano, embora avalie que o movimento de alta da bolsa paulista não irá se manter.

O Ibovespa acumula alta de 2,57 por cento no ano, sendo que em fevereiro o ganho chega a 9,35 por cento até esta quinta-feira.   Continuação...