Grécia e zona do euro acertam extensão por quatro meses de resgate

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015 22:03 BRST
 

Por Jan Strupczewski e Renee Maltezou

BRUXELAS (Reuters) - Os ministros das Finanças da zona do euro acertaram em princípio nesta sexta-feira estender o resgate financeiro da Grécia por quatro meses, removendo o risco potencial de o país ficar sem recursos em março, o que poderia levar Atenas a ser forçada a abandonar a moeda comum.

O acordo, que será ratificado uma vez que os credores da Grécia estejam satisfeitos com a lista de reformas que o país terá que apresentar na semana que vem, encerra um período de incertezas desde a eleição de um governo de esquerda em Atenas, que se comprometeu a reverter as medidas de austeridade.

"Hoje foi um primeiro passo neste processo de reconstruir a confiança", disse o presidente do Eurogrupo que reúne 19 países, Jeroen Dijsselbloem, em entrevista coletiva.

O acordo, alcançado depois da terceira reunião ministerial em duas semanas e declarações públicas amargas, garante uma margem de manobra para o novo governo grego tentar negociar a redução da dívida de longo prazo com os seus credores oficiais.

Mas também força o jovem e radical primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, a recuar na sua promessa de descartar o resgate, acabar com a cooperação com a "troika" de credores internacionais e reverter as medidas de austeridade.

A Alemanha, maior credor da Grécia, havia exigido "melhoras significativas" nos comprometimentos com reformas do novo governo esquerdista de Atenas antes de aceitar a extensão do financiamento da zona do euro.

Os dois principais opositores nas negociações classificaram o resultado de maneira totalmente diferente.

"Estar no governo é um encontro com a realidade, e a realidade muitas vezes não é tão boa quanto um sonho", disse o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, a jornalistas, ressaltando que Atenas não receberá novos desembolsos até o seu programa de resgate ter sido devidamente concluído.   Continuação...

 
O ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, chega para conversar com a imprensa após uma reunião extraordinária de ministros das Finanças da zona do euro, em Bruxelas, na Bélgica, nesta sexta-feira. 20/02/2015 REUTERS/Eric Vidal