Porto líbio de Zuietina volta a funcionar; oleoduto de Sarir é testado

domingo, 22 de fevereiro de 2015 14:36 BRT
 

BENGHAZI/TRÍPOLI (Reuters) - A Líbia retomou as exportações de petróleo no porto de Zueitina, no leste do país, depois de quase um ano de suspensão, e também está testando um oleoduto a fim de recomeçar as exportações no porto de Hariga, disseram funcionários do governo neste domingo. 

A retomada deve se traduzir em receitas extremamente necessárias para o produtor de petróleo que vêm tendo dificuldades com crise das finanças públicas, acirrada devido ao conflito entre dois governos e parlamentos aliados a facções armadas. 

Zueitina está sob controle das tropas leais ao governo reconhecido internacionalmente da Líbia. Os recursos obtidos com as exportações de petróleo irão para o banco central, que tem procurado ficar de fora do conflito.

As exportações de petróleo caíram para menos de 200 mil barris por dia depois do fechamento do porto de Hariga, no leste do país, devido à explosão de um oleoduto há uma semana. Muito menos que os mais de 1,3 milhão de barris de petróleo exportados diariamente antes da destituição do líder Muammar Gaddafi em 2011. 

A maioria dos campos de petróleo líbios pararam de funcionar devido à violenta luta pelo poder no país. 

O primeiro navio-petroleiro em quase um ano partiu carregado de petróleo do porto de Zueitina neste domingo, informou um funcionário do local, que pediu para não ter seu nome divulgado.

O porto, o menor dos quatro terminais do leste líbio, chegou a reabrir em abril de 2014 depois que um grupo rebelde que pedia autonomia para o leste do país desfez o bloqueio, mas, desde então, greves e problemas técnicos impediram o terminal de retomar suas exportações.

Mais ainda ao leste, engenheiros no campo de Sarir, o maior do país, começaram a testar um oleoduto que vai até o campo de Hariga, danificado por uma explosão há uma semana. 

"Nós começamos a fazer um teste de bombeamento para avaliar a manutenção do equipamento. É mais provável que o resultado final esteja claro amanhã", disse Omran Al-Zwie, porta-voz do porto e da operadora Arabian Gulf Oil Co.   Continuação...