Racionamento de água provocaria perdas bilionária à agropecuária, diz GO Associados

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015 14:30 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Um eventual racionamento de água no Sudeste, região que responde por cerca de 50 por cento da receita bruta da agropecuária do Brasil, poderia resultar em perdas de bilhões de reais ao setor no caso de uma restrição hídrica de consumo de 10 por cento em 12 meses, segundo cálculo divulgado nesta segunda-feira pela consultoria GO Associados.

O Sudeste brasileiro, que consome 56 por cento dos mais de 10 trilhões de litros de água usados anualmente pelo Brasil, poderia registrar uma queda anual de 22,5 bilhões de reais na receita agropecuária, para 202,5 bilhões de reais.

"Nessas condições, a receita anual da agropecuária brasileira encolheria 5 por cento, passando de 450,0 bilhões de reais para 427,5 bilhões de reais", afirmou a GO, acrescentando que o PIB da agropecuária brasileira diminuiria cerca de 2 por cento.

A região Sudeste, especialmente a área metropolitana de São Paulo e algumas cidades do interior paulista, vivem uma de suas piores crises hídricas da história, após elevadas temperaturas e estiagem históricas ao longo de 2014. A seca atingiu fortemente represas como a de Furnas, em Minas Gerais, uma das mais importantes de geração hidrelétrica da nação.

Embora não exista um racionamento declarado no Sudeste, a Sabesp vem trabalhando no Estado de São Paulo com uma série de medidas buscando evitar o esgotamento de importantes reservatórios, como a redução da pressão da água.

Boa parte da água consumida na agricultura, no entanto, não passa por sistema de tratamento convencional, sendo retirada diretamente pelas propriedades agropecuárias dos rios, por exemplo.

Segundo fontes estatais e internacionais citadas pela GO, como a Faostat, das Nações Unidas, o sistema de irrigação agrícola do Brasil consome 7,3 trilhões de litros de água/ano, respondendo por 72 por cento do consumo total, sendo que a pecuária (bovina, frango e suína) consome 1 trilhão de litros de água/ano, ou seja, 10 por cento do consumo total.

O consumo urbano responde por 10 por cento do total, enquanto o indústria pelos outros 7 por cento.

Considerando somente o Sudeste, a agropecuária da região mais rica do país consome cerca de 5 trilhões de litros de água/ano, ou 88 por cento do consumo da região, ou 50 por cento do consumo total do país.   Continuação...