Abertura de capital da Caixa não será decidida sem estudo de viabilidade, diz Miram Belchior

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015 20:08 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - A decisão sobre a abertura de capital da Caixa Econômica Federal não será tomada pelo governo sem a realização de um estudo de viabilidade, disse nesta segunda-feira a recém empossada presidente da instituição, Miriam Belchior.

"Nenhuma medida será tomada nessa direção sem que antes se faça, no mínimo, um estudo de viabilidade", disse ela a jornalistas, respondendo a perguntas sobre a eventual abertura de capital da instituição financeira, após sua cerimônia de posse.

"Não temos como adiantar questões sobre isso enquanto não houver uma análise aprofundada", afirmou Belchior, acrescentando que até o momento não há estudos sobre esse tema.

A ex-ministra do Planejamento do primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff assumiu a presidência da Caixa, maior financiadora habitacional do país, com 70 por cento do mercado brasileiro, cercada de expectativa em relação à preparação do banco para a abertura de capital, seguindo ideia levantada pela presidente Dilma Rousseff no fim ano passado.

Ela substitui Jorge Hereda, que estava à frente da instituição financeira desde março de 2011, período no qual a Caixa mais que triplicou sua carteira de crédito.

Respondendo a poucas perguntas em entrevista a jornalistas após a cerimônia de posse, a nova presidente da instituição disse que a composição da nova diretoria do banco ainda está em discussão no governo.

Miriam disse ainda que a gestão do banco será voltada para o cumprimento da entrega da meta de 3 milhões de moradias do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) e que a Caixa terá relevância na nova carteira de investimentos em infraestrutura logística.

EFICIÊNCIA   Continuação...