MPF denuncia ex-diretor da Petrobras Cerveró por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 13:34 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Ministério Público Federal (MPF) denunciou nesta terça-feira o ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró, entre 2003 e 2008, e outras duas pessoas pelos crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, apurados na Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

A Lava Jato investiga um esquema de corrupção bilionário de sobrepreço em obras da Petrobras PETR4.SA e que envolveria ex-funcionários da estatal, executivos de empreiteiras e políticos.

"Cerveró é acusado de utilizar o cargo de diretor na estatal para favorecer contratações de empreiteiras mediante o pagamento de propina", disse o MPF em nota.

Os outros dois denunciados são Fernando Soares, que é apontado pelo MPF como operador financeiro do esquema, e Oscar Algorta, que seria responsável por lavar dinheiro ao adquirir com valores ilícitos uma cobertura de luxo para ocultar a real propriedade atribuída a Cerveró, que está detido.

Procurado, o advogado de Cerveró Edson Ribeiro disse por e-mail que as denúncias não são verdadeiras e questionou a competência da Justiça Federal do Paraná para julgá-las.

"A denúncia oferecida pelo MPF é inepta, há criação de novo tipo penal (formação de quadrilha composta por, apenas, dois integrantes), os fatos não são verdadeiros e, se fossem, a competência para processá-los e julgá-los jamais seria da Justiça Federal do Paraná", afirmou Ribeiro.

O MPF afirmou que Cerveró, assim como outros empregados do alto escalão, foram subornados para o funcionamento de um cartel de grandes empreiteiras que fraudaram licitações da petroleira.

Fernando Soares, segundo o MPF, atuava em favor de Cerveró para intermediar o pagamento de propina e lavar os recursos ilícitos adquiridos.

A denúncia afirmou que valores recebidos por Cerveró teriam sido enviados ao exterior e retornado ao país por meio de simulação de investimentos da brasileira Jolmey do Brasil Administradora de Bens, filial da uruguaia Jolmey.   Continuação...

 
13/02/2015. REUTERS/Rodolfo Buhrer