Bloqueios em rodovias afetam fluxo de soja e milho para o porto de Paranaguá

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 13:45 BRT
 

Por Marcelo Teixeira

SÃO PAULO (Reuters) - As manifestações de caminhoneiros que bloqueiam diversas rodovias em vários Estados brasileiros estão afetando a chegada de soja e milho ao porto de Paranaguá, um dos principais pontos de exportação de grãos do país, informou a administração do porto paranaense nesta terça-feira.

O porto de Paranaguá tinha somente 45 caminhões em seu pátio na manhã de terça-feira, ante 900 veículos esperados normalmente no período da manhã nesta época de colheita de soja, informou a administração portuária, por meio de sua assessoria de imprensa.

Segundo a direção do porto, há risco de atrasos nos carregamentos dos navios atracados no porto e também das embarcações que aguardam no mar, se os protestos dos caminhoneiros se estenderem por mais tempo.

Caminhoneiros estão bloqueando rodovias vitais para o transporte da soja das principais áreas de produção até o porto.

Diversas rodovias em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Paraná estão bloqueadas, afetando também o abastecimento em várias cidades.

Em Mato Grosso, maior produtor de soja do país, que está em plena colheita da safra, agricultores disseram que estão sem óleo diesel para mover as colheitadeiras. [L1N0VY1BI]

Em Paranaguá, a administração do porto informou que 1.568 caminhões haviam cancelado, na segunda-feira, senhas que haviam recebido pelo sistema de agendamento eletrônico para a entrada com grãos no pátio do porto.

Cerca de 880 caminhões haviam mantido as senhas, mas o porto não tinha informações se eles conseguiriam fazer o percurso da origem do carregamento até o pátio de descarga em Paranaguá.   Continuação...