PMI da indústria da China vai à máxima em 4 meses mas encomendas de exportação recuam

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 07:23 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A atividade do setor industrial da China atingiu máxima de quatro meses em fevereiro mas as encomendas para exportação encolheram na taxa mais rápida em 20 meses, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI na sigla em inglês), pintando um cenário sombrio que justificaria mais suporte de política.

O PMI preliminar da indústria do HSBC/Markit subiu para 50,1 em fevereiro, ligeiramente acima da marca de 50 que separa crescimento de contração.

Economistas consultados pela Reuters esperavam leitura de 49,5, contra dado final de 49,7 em janeiro.

Mas mesmo que a indústria tenha crescido marginalmente, a pesquisa sugere que o setor ainda enfrenta riscos consideráveis da demanda externa fraca e das crescentes pressões deflacionárias.

Embora a demanda doméstica tenha subido levemente, o subíndice de novas encomendas para exportação caiu 3 pontos ante janeiro, para 47,1, taxa mais forte de contração desde junho de 2013.

"A atividade econômica doméstica deve permanecer fraca e a demanda externa parece incerta", disse Qu Hongbin, economista-chefe do HSBC na China. "Acreditamos que mais afrouxamento de política ainda é justificado no atual estágio para sustentar o crescimento."

(Reportagem de Koh Gui Qing)