26 de Fevereiro de 2015 / às 10:49 / 2 anos atrás

Vale tem prejuízo de R$4,761 bi no 4º tri com tombo do preço do minério

Prédio da Vale, no centro do Rio de Janeiro. 15/12/2014Pilar Olivares

SÃO PAULO (Reuters) - A mineradora Vale registrou prejuízo líquido de 4,761 bilhões de reais no quatro trimestre de 2014 ante prejuízo de 14,867 bilhões no mesmo período de 2013, com o preço do minério de ferro despencando no mercado internacional, perdas cambiais, em derivativos e baixas contábeis de ativos, informou a empresa nesta quinta-feira.

As perdas recuaram na comparação com o mesmo período de 2013, quando a empresa teve elevados gastos com o pagamento de tributos federais, mas aumentaram ante o terceiro trimestre do ano passado, quando o prejuízo líquido somou 3,381 bilhões de reais, com a queda do preço do minério de ferro decorrente do crescimento da produção das grandes mineradoras, incluindo a própria Vale.

A maior produtora de minério de ferro do mundo registrou preço médio de venda do minério de ferro (fino) de 61,57 dólares por tonelada no quarto trimestre de 2014, ante 118,77 dólares por tonelada no mesmo período de 2013.

O Ebitda ajustado da companhia, importante indicador da geração de caixa, somou 5,572 bilhões de reais no quarto trimestre, ante 15,154 bilhões no mesmo período de 2013, diante da forte queda nos preços internacionais do minério de ferro, o principal produto da empresa.

O resultado líquido da Vale também foi afetado por variações monetárias e cambiais (-3,225 bilhões de reais); perdas nos swaps de moeda e taxa de juros (-1,365 bilhão de reais); baixas contábeis de ativos (-983 milhões de reais), especialmente ativos de fertilizantes no Brasil devido a condições de mercado desfavoráveis, entre outros, segundo o comunicado.

VOLUME MAIOR AMENIZA QUEDA DA RECEITA

A receita operacional bruta no quarto trimestre foi de 23,545 bilhões de reais, ante mais de 30 bilhões de reais no mesmo período do ano anterior.

Na comparação com o terceiro trimestre, houve aumento de 12 por cento, principalmente devido ao maior volume de venda de minério de ferro e pelotas, que foi parcialmente compensados pelos menores preços dos produtos.

A participação do segmento de minerais ferrosos na receita operacional aumentou para 67,3 por cento, de 64,1 por cento no terceiro trimestre de 2014, principalmente devido aos maiores volumes de venda de minério de ferro e pelotas.

O segmento de metais básicos reduziu sua participação na receita, passando de 23,1 por cento, no terceiro trimestre, para 21,2 , no quarto.

No quarto trimestre, as vendas para a Ásia, em relação ao total de vendas, aumentaram de 49,3 por cento no terceiro trimestre para 52,1 por cento no quarto, enquanto as vendas para as Américas, Europa e Oriente Médio diminuíram.

As vendas para a China representaram 33,6 por cento da receita total no quartro trimestre.

Em todo o ano, a receita operacional da Vale somou 89,911 bilhões de reais em 2014, uma queda de 12,7 por cento em relação a 2013, em razão dos menores preços de minério de ferro, os quais foram parcialmente mitigados principalmente pelos maiores volumes de vendas de minério de ferro e maiores volumes de vendas de pelotas.

Para fazer frentes aos tempos difíceis do preço do minério de ferro, a companhia reduziu investimentos.

Em 2014, os investimentos da Vale totalizaram 11,979 bilhões de dólares, compostos de 7,920 bilhões de dólares em execução de projetos e 4,059 bilhões de dólares em manutenção. Em 2013, os investimentos somaram 14,233 bilhões de dólares.

Apesar do cenário desafiador, a Vale disse que manteve um "balanço saudável com baixa alavancagem".

A mineradora informou uma dívida total 28,807 bilhões de dólares em 31 de dezembro de 2014, com uma redução de 559 milhões de dólares ante 30 de setembro de 2014 e queda de 848 milhões de dólares na comparação com 31 de dezembro de 2013.

RECORDES EM PRODUÇÃO

Segundo a Vale, 2014 foi um ano de "sólido desempenho" a despeito dos desafios trazidos pelo declínio dos preços de commodities.

A companhia registrou recordes anuais de produção em minério de ferro, cobre e ouro, e a melhor marca em níquel desde 2008 (275 mil toneladas).

A oferta de minério de ferro de 331,6 milhões de toneladas, incluindo recorde de produção própria de 319,2 milhões, devido principalmente a produção recorde em Carajás.

A empresa também anunciou um recorde de volume de vendas de minério de ferro e pelotas (313,6 milhões de toneladas), à medida que as grandes produtoras de minério de ferro têm a estratégia de retirar do mercado as mineradoras de maior custo, o que tem tido impacto nos preços de vendas.

O volume de vendas de ouro atingiu (351 mil oz e o de níquel chegou a 272 mil t.

Por Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below