Dívida mobiliária federal interna cai 2,09% em janeiro ante dezembro, informa Tesouro

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 11:29 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - A dívida pública em títulos recuou 2,09 por cento em janeiro ante dezembro, com o estoque do passivo baixando a 2,248 trilhões de reais devido ao resgate líquido de 69,95 bilhões de reais por elevados vencimentos de papéis federais no primeiro mês de 2015.

De acordo com dados apresentados pelo Tesouro Nacional nesta quinta-feira, a dívida pública mobiliária federal interna também caiu 2,09 por cento em janeiro frente ao mês anterior, atingindo 2,138 trilhões de reais.

A dívida externa recuou 2,1 por cento, com o estoque de papéis encerrando janeiro a 109,93 bilhões de reais.

Em termos de composição, no mês passado os títulos prefixados representaram 39,01 por cento do total da dívida, menor que os 41,58 por cento no mês anterior, em retração influenciada pelo resgate de títulos. A meta do governo para o ano é que fique entre 40 e 44 por cento.

Os papéis corrigidos pela inflação representaram 36,29 por cento da dívida em janeiro, ante 34,91 por cento em dezembro. Para o fim do ano a meta é que fiquem entre 33 e 37 por cento.

Já os títulos corrigidos pela Selic corresponderam a 19,82 por cento do total do passivo ante 18,66 por cento em dezembro, numa alta ocorrida em meio à política de aumento dos juros básicos para o combate à inflação. Para o término deste ano, a meta do governo é que fiquem entre 17 e 22 por cento.

O ambiente restritivo --marcado por economia fraca, aperto fiscal e monetário e pressão inflacionária-- impediu o Tesouro de fixar metas mais ambiciosas para a gestão da dívida, incluindo a definição de um alvo mais desafiador para redução da dívida flutuante.

Na dívida externa, prevalece a orientação do Tesouro de adiar operações de emissão externa pela atividade fraca e contaminação de expectativas pelo escândalo de corrupção envolvendo a Petrobras.

Num contexto de elevação da taxa Selic, em janeiro os investidores estrangeiros ampliaram a participação na dívida brasileira em títulos a 20,21 por cento frente ao percentual de 18,64 por cento em dezembro.   Continuação...

 
Foto ilustriação com moedas de real. 15/10/2010 REUTERS/Bruno Domingos