Rebaixamento da Petrobras não afetou taxas de títulos federais no mercado, diz Tesouro

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 11:34 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O Tesouro Nacional avalia que o rebaixamento da classificação de risco da Petrobras pela Moody's não afetará o apetite de investidores estrangeiros pelos papéis da dívida brasileira, disse nesta quinta-feira o coordenador de Operações da Dívida Pública do Tesouro Nacional, José Franco.

Segundo o Tesouro, o rebaixamento da estatal petroleira pela Moody's para "junk" (grau especulativo) não gerou impacto nas taxas dos papéis federais negociados no mercado secundário de títulos públicos na quarta-feira.

Franco disse que "há dificuldade zero de rolagem da dívida pública" e que os leilões dos papéis vem ocorrendo normalmente.

Ele acrescentou que está havendo demanda adicional de investidores por papéis mais curtos da dívida em contexto de elevação da taxa básica de juro Selic para combate à inflação, associando esse apetite maior também ao elevado vencimento de títulos brasileiros nos primeiros meses deste ano.

"Há volume alto de vencimentos e é natural que isse gere demanda pelos papéis. A demanda tem sido por títulos mais curtos e isso está em nosso planejamento", disse ele a jornalistas.

(Por Luciana Otoni)

 
Vista geral de refinaria da Petrobras em Cubatão. 25/02/2015 REUTERS/Paulo Whitaker