Colheita de soja dispara em MT, mas segue atrasada; bloqueios de estradas podem atrapalhar

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015 12:41 BRT
 

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - A colheita de soja em Mato Grosso avançou aceleradamente nesta semana, superando metade do total plantado no Estado, o maior produtor de grãos do Brasil, mas continua atrasada em relação ao mesmo período do ano passado, por problemas climáticos, principalmente.

Enquanto isso, bloqueios em rodovias, se mantidos, poderão agravar a situação do atraso a partir da próxima semana, informou um instituto de pesquisas mato-grossense nesta sexta-feira, reportando já alguns problemas de falta de diesel nos últimos dias.

Uma pesquisa junto a produtores do Estado indica que 60 por cento dos associados que responderam a uma sondagem feita pelas entidades têm diesel para abastecer as colheitadeiras somente até a próxima segunda-feira.

Apontou ainda que cerca de 20 por cento já não tinham, na quinta-feira, o combustível em função do desabastecimento ocasionado pelos bloqueios de caminhoneiros, cujo movimento é forte no Estado e persistia nesta sexta-feira.

"Provavelmente respondeu a pesquisa quem está com mais problemas, as questões foram enviadas a todos os associados (das associações de produtores de soja e algodão), e só uma parcela respondeu", afirmou o superintendente do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Otávio Celidonio, em entrevista à Reuters.

A pesquisa atingiu mais de 5 mil produtores ligados à Aprosoja e Ampa (algodão), e pouco mais de 10 por cento responderam a sondagem.

"A conclusão é que, se a entrega do diesel não for restabelecida, teremos uma situação complicada para a colheita (na próxima semana). É um período de chuvas e pode haver prejuízos em termos de qualidade (na soja), dependendo do tempo que a falta de diesel vai durar", afirmou

Ele disse que, embora atualmente os produtores plantem variedades mais resistentes, se a soja ficar madura no campo por muito tempo, em um período chuvoso, a qualidade do grão cai e mesmo o produto pode ser estragado.   Continuação...