Bloqueios de caminhoneiros se concentram no Sul; empresas de aves e suínos retomam transporte

segunda-feira, 2 de março de 2015 18:32 BRT
 

(Reuters) - Caminhoneiros ainda protestam na tarde de segunda-feira em mais de 20 pontos de rodovias federais do país, especialmente nos Estados do Sul, no dia em que o governo sancionou uma nova lei que alivia o pagamento de pedágio, perdoa multas e promete ampliar pontos de paradas para descanso.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 13 pontos de interdições parciais no Rio Grande do Sul, sete em Santa Catarina e outros três no Paraná, de acordo com boletim divulgado na tarde desta segunda-feira, que marcou o décimo terceiro dia de protestos.

Na BR-163, principal estrada para o transporte de produtos agrícolas e insumos de Mato Grosso, três pontos de bloqueios parciais eram registrados perto dos municípios de Lucas do Rio Verde, Sorriso e Sinop, mas apenas carretas com grãos eram barradas. Cargas vivas e veículos de passeio passavam, e não havia registro de congestionamento, segundo a concessionária Rota do Oeste.

De uma maneira geral, a situação aponta para um número menor de bloqueios em relação ao registrado na maior parte da semana passada, após o governo ter anunciado que multaria os caminhoneiros manifestantes em até 10 mil reais por hora.

Relatos indicaram que muitos produtores em Mato Grosso poderiam ficar sem diesel para a colheita a partir desta segunda-feira, por conta dos bloqueios no maior produtor de soja do Brasil, mas já havia notícias de alívio em algumas áreas, com menos bloqueios sendo registrados no Estado.

"Estamos hoje mais aliviados. Chegou uma remessa considerável de óleo diesel. Deverá atender a demanda para cinco dias", afirmou à Reuters Adelmo Zuanazzi, produtor rural em Sinop (MT).

Algumas indústrias de carnes, bastante prejudicadas pelos protestos, também estão retomando operações.

A BRF informou que todas as unidades estavam operacionais nesta segunda-feira, após suspender atividades em duas fábricas.

A empresa disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que conseguiu transportar matérias-primas e animais vivos para as unidades durante a noite, no final de semana e também durante todo o dia desta segunda-feira, em função da redução dos bloqueios. A companhia também usou rotas alternativas para o transporte.   Continuação...

 
Caminhões parados no porto de Santos.  25/02/2015     REUTERS/Paulo Whitaker