Produção agropecuária da Austrália deve sentir novamente efeitos da seca em 15/16

segunda-feira, 2 de março de 2015 13:27 BRT
 

SYDNEY (Reuters) - A produção agropecuária da Austrália continuará sendo prejudicada pela seca na próxima temporada, apesar de uma melhoria das condições climáticas nas últimas semanas, afirmou o principal órgão de previsão para commodities do país.

A produção de trigo, a maior safra de inverno da Austrália, permanecerá limitada, mas a colheita será a sétima maior já registrada, afirmou o Escritório Australiano de Economia Agrícola e Recursos Econômicos e Ciências (Abares, na sigla em inglês).

Ainda que distante dos melhores anos, a produção australiana poderá adicionar pressão aos preços globais do trigo. O contrato referencial de Chicago atingiu uma mínima de quatro meses no mês passado, em meio a amplos suprimentos em todo o mundo.

A produção de trigo deverá totalizar 24,39 milhões de toneladas na temporada 2015/16, que começa em 1º de julho, um aumento de 3 por cento ante as 23,61 milhões de toneladas do ciclo anterior.

No entanto, a Abares disse que a produção continuaria sentindo o impacto da seca, com chuva insuficiente levando a produtividades fracas --o aumento na safra será impulsionado por um aumento de área plantada, que deverá totalizar 13,81 milhões de hectares, uma máxima de quatro anos.

"Tivemos algum alívio nas últimas semanas, mas a umidade do solo permanece relativamente baixa", disse Jammie Penm, analista chefe de commodities do Abares.

Os criadores de gado da Austrália também têm sofrido com o tempo adverso.

Incapazes de encontrar comida ou água em volumes suficientes, os pecuaristas têm sido forçados a abater os animais em níveis recordes ao longo dos últimos dois anos, pressionando o rebanho nacional a uma mínima de 17 anos, pelo menos.

O Abares espera que o ritmo de abate tenha uma redução, para uma mínima de dois anos, com o tamanho do rebanho caindo para 26,5 milhões de cabeças.   Continuação...