Barclays sofre encargo de US$1,2 bi, assolado por acusações sobre má conduta

terça-feira, 3 de março de 2015 07:38 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O Barclays sofreu um encargo de 750 milhões de libras (1,2 bilhão de dólares) no quarto trimestre, conforme se prepara para encerrar acusações de que seus operadores manipularam mercados de câmbio, o que ofuscou os esforços do banco para cortar custos e impulsionar os lucros.

Problemas passados de conduta continuam a perseguir o presidente-executivo do Barclays, Antony Jenkins, mas apesar do crescente orçamento para litígios ele aceitou seu primeiro bônus desde que assumiu o posto há três anos, ajudando a aumentar seu pagamento total para 5,5 milhões de libras, ante 1,6 milhão em 2013.

O banco britânico disse nesta terça-feira que registrou lucro ajustado antes de impostos de 5,5 bilhões de libras no ano passado, ante 4,9 bilhões em 2013, conforme dados revisados, e acima da previsão média de analistas de 5,3 bilhões.

Mas, incluindo encargos, provisões e custos de restruturação de 1,2 bilhão de libras, o lucro antes de impostos caiu 21 por cento, para 2,3 bilhões.

As ações do banco estavam entre as maiores quedas do índice de bancos europeu, que operava em queda de 0,13 por cento, com queda de mais de 2 por cento às 7h37 de Brasília.

O Barclays elevou sua provisão para litígios em 250 por cento, para 1,7 bilhão de libras, mas Jenkins disse que o banco fará progresso significativo neste ano para lidar com as investigações sobre conduta relacionada ao câmbio.

(Por Steve Slater e Matt Scuffham)