Grécia não pode depender do BCE para evitar aperto de financiamento

quinta-feira, 5 de março de 2015 11:42 BRT
 

NICÓSIA (Reuters) - A Grécia não pode depender do Banco Central Europeu (BCE) para elevar um limite sobre a emissão de dívida de curto prazo de Atenas, sugeriu o presidente do BCE, Mario Draghi, nesta quinta-feira.

Ele também disse que as regras significam que o BCE não pode comprar bônus gregos sob seu novo programa de compra de ativos.

Questionado sobre o limite de dívida de curto prazo numa coletiva de imprensa após a reunião do BCE no Chipre, Draghi disse que o banco está proibido por regras europeias de financiar governos direta ou indiretamente.

"O BCE é uma instituição baseada em regras. Não é uma insitutição política", disse Draghi.

Atenas está ficando sem opções para se financiar apesar de fechar um acordo com a zona do euro em fevereiro para prorrogar seu resgate por quatro meses. Diante de uma queda nas receitas, o país deve ficar sem dinheiro até o final de março, talvez antes.

Uma opção de financiamento seria elevar um limite de 15 bilhões de euros (16,69 bilhões de dólares) sobre a emissão de títulos do Tesouro de Atenas, ou dívida de curto prazo. O limite já foi atingido, e o BCE tem poder de veto sobre sua elevação.

O limite é sensível pois bancos gregos têm usado os títulos do Tesouro para acessar financiamento do banco central e então investir em mais títulos do Tesouro, ajudando o Estado a cobrir suas necessidades de curto prazo.

(Por Paul Carrel)