Açúcar bruto cai à mínima de 6 anos em NY com fraqueza do real

terça-feira, 10 de março de 2015 15:44 BRT
 

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) - Os contratos futuros do açúcar bruto na ICE Futures, em Nova York, caíram para uma mínima de seis anos nesta terça-feira e os do café arábica recuaram para perto de uma mínima de 13 meses devido a uma desvalorização do real, que estimula vendas de produtores no Brasil e de especuladores.

O contrato maio do açúcar bruto encerrou com queda de 0,25 centavo, ou 1,9 por cento, a 13,02 centavos de dólar por libra-peso, depois de tocar 12,98 centavos durante a sessão, menor valor para o primeiro contrato desde abril de 2009.

"A principal razão para a fraqueza do açúcar é a fraqueza do real", disse Claudiu Covrig, analista agrícola sênior da Platts Kingsman.

"Além disso, fundos de investimento estão fugindo das commodities e indo para o mercado de ações", afirmou.

O operador sênior da Sucden Financial Sugar, Nick Penney, disse que a fraqueza do real ante o dólar motivou uma corrida das usinas brasileiras para fechar contratos futuros para garantir o preço de suas exportações.

"O tempo também tem melhorado nas áreas de cultivo do Brasil, com chuvas constantes, favorecendo a cana antes do início da safra", disse Penney.

O contrato maio do açúcar branco fechou com queda de 2,10 dólares, ou 0,6 por cento, a 365,80 dólares por tonelada.

Produtores brasileiros também buscaram travar preços em real para a produção de café, com operadores acrescentando que a fraqueza do real também atraiu vendas de especuladores.

"Eles (produtores brasileiros) estão vendendo e os especuladores estão vendendo também, e os torrefadores estão lá sentados dizendo 'podem vir'", disse Jack Scoville, vice-presidente da Price Futures Group, em Chicago.   Continuação...