Após 5 quedas, Ibovespa sobe com bancos e Petrobras; Braskem despenca 20%

quarta-feira, 11 de março de 2015 17:42 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou com o seu principal índice em alta nesta quarta-feira, encerrando uma sequência de cinco pregões no vermelho, com a recuperação das ações dos bancos privados e da Petrobras entre os suportes para a trégua na sessão.

Profissionais do mercado ouvidos pela Reuters entenderam o movimento na bolsa nesta quarta-feira como um ajuste, amparado em um quadro relativamente calmo no exterior, enquanto seguem incertezas sobre o andamento dos ajustes fiscais no Brasil.

Braskem ganhou destaque na ponta negativa ao despencar 20 por cento, com a empresa citada nas investigações da operação Lava Jato, enquanto Gol disparou 9 por cento, com cobertura de posições amplificando correção técnica.

O Ibovespa subiu 1,27 por cento, a 48.905 pontos, após recuar quase 6 por cento nas cinco sessões anteriores. O volume financeiro no dia alcançou 7 bilhões de reais.

Itaú Unibanco e Bradesco avançaram 3,39 e 3 por cento, após queda forte na véspera, sustentando o índice, em razão da relevante fatia que detêm no Ibovespa, assim como Ambev, que se apreciou 2,32 por cento.

Da mesma forma, as preferenciais da Petrobras corroboraram o alívio ao subirem 2,81 por cento, mesmo com a volatilidade dos preços do petróleo no mercado internacional e sem ter o mesmo peso de outrora.

O BTG Pactual cortou o Brasil a "underweight" em sua estratégia de ações na América Latina, citando que as variáveis macroeconômicas continuam a se deteriorar, com a cena política confusa pelo escândalo de corrupção da Petrobras.

A Braskem sofreu os efeitos do imbróglio que passa a estatal, despencando quase 20 por cento, para fechar a 11,03 reais, mínima desde 25 de julho de 2012.   Continuação...