Vendas no varejo dos EUA mostram fraqueza; emprego se fortalece

quinta-feira, 12 de março de 2015 13:35 BRT
 

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - As vendas no varejo dos Estados Unidos caíram inesperadamente pelo terceiro mês consecutivo em fevereiro provavelmente devido a um clima severo que manteve consumidores longe de concessionárias de automóveis e shoppings centers, o que pode afetar as perspectivas de crescimento para o primeiro trimestre.

Um clima frio e com neve e a já resolvida disputa trabalhista nos portos da costa oeste do país, que impactou a cadeia logística, prejudicou a atividade econômica no começo do ano, mas a desaceleração do crescimento é tida como temporária diante do rápido fortalecimento do mercado de trabalho.

O Departamento do Comércio informou nesta quinta-feira que as vendas no varejo caíram 0,6 por cento após contração de 0,8 por cento apurada em janeiro.

O declínio do mês passado foi quase generalizado, sugerindo que o clima frio e com neve que cobriu os EUA na segunda metade de fevereiro pode ter sido um fator.

Essa foi a primeira vez desde 2012 que as vendas no varejo caíram por três meses consecutivos. Economistas consultados pela Reuters haviam projetado um crescimento de 0,3 por cento para as vendas no varejo no mês passado.

Alguns economistas e operadores acreditam que o Federal Reserve, banco central dos EUA, poderia esperar mais para ver os juros para garantir que a fraqueza é temporária.

As vendas no varejo excluindo automóveis, gasolina, materiais de construção e serviços alimentares ficaram inalteradas após um recuo de 0,1 por cento em janeiro.

O chamado núcleo de vendas do varejo corresponde de modo mais próximo ao componente de gastos dos consumidores do Produto Interno Bruto (PIB).   Continuação...

 
Um único turista em Washington perto do Lincoln Memorial durante tempestade de inverno. 05/03/2015 REUTERS/Joshua Roberts