CSN corta em investimento em 2015 em 41%, espera vendas maiores de aço em 2015

quinta-feira, 12 de março de 2015 14:49 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Siderúrgica Nacional estimou nesta quinta-feira investimento total de 1,3 bilhão de reais este ano, o que representa um corte de cerca de 41 por cento sobre os 2,2 bilhões de reais despendidos pela empresa em 2014 e vai na esteira de outros cortes de gastos anunciados por rivais para 2015.

Em teleconferência com analistas, o diretor-executivo de relações com investidores da CSN, David Salama, afirmou que a empresa revisou seus planos para 2015 para priorizar investimentos de maior retorno, postergando projetos e se ajustando ao "atual cenário econômico". A Usiminas reduziu investimento de 2015 para 900 milhões de reais, ante 1,1 bilhão em 2014, e a Gerdau pretende investir 1,9 bilhão este ano após 2,3 bilhões no ano passado.

Do total de investimentos da CSN em 2015, cerca de 710 milhões de reais irão para a área de mineração, 317 milhões para siderurgia e 200 milhões para as operações de cimento.

O plano demonstra foco da empresa ainda na produção de minério de ferro, apesar da contínua queda do preço internacional da commodity. A área recebeu em 2014 cerca de 700 milhões de reais em investimentos ante 565 milhões pela siderurgia e 506 milhões de reais foram para cimentos.

A manutenção do nível de investimentos em mineração ocorre enquanto as reservas de minério de ferro da mina Casa de Pedra e Engenho foram elevadas de 1,63 bilhão de toneladas em 2007 para 3,02 bilhões em 2014, após novo processo de certificação.

Segundo o diretor de mineração da companhia, Daniel dos Santos, a CSN pretende exportar de 27 milhões a 28 milhões de toneladas de minério de ferro este ano pelo terminal da companhia em Itaguaí (RJ), ante 32,8 milhões de toneladas em 2014, apoiadas em quedas "expressivas" em valores de frete a partir do segundo trimestre.

O executivo comentou que mesmo que o preço da commodity caia abaixo de 50 dólares a tonelada, as exportações do produto pela empresa continuarão competitivas. Os preços do minério de ferro para entrega imediata na China caíram para 57,70 dólares por tonelada na quarta-feira, o nível mais baixo desde que os dados começaram a ser compilados em 2008 pelo Steel Index.

Santos comentou que o declínio do preço da commodity está tornando operações de mineração na região de Serra Azul, em Minas Gerais, pouco competitivas e que a CSN está conseguindo tomar mercado desses produtores ofertando seus produtos no mercado interno.

O executivo não deu detalhes, mas afirmou que espera "volumes importantes" de vendas de minério de ferro no Brasil pela CSN este ano.   Continuação...