Juncker pressiona por solidariedade da UE à Grécia

sexta-feira, 13 de março de 2015 11:35 BRT
 

Por Jan Strupczewski e Alastair Macdonald

BRUXELAS (Reuters) - O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, fizeram nesta sexta-feira um apelo aos governos europeus para que manifestem solidariedade à Grécia e resolvam uma crise de crédito que corre o risco de lançar esse país para fora da zona euro.

Seus comentários, enquanto a Alemanha, principal fonte de divisas no bloco, pressiona para que o governo da Grécia honre seus compromissos com os credores internacionais, destacam a preocupação de Juncker com o risco de graves danos para a União Europeia, mas também podem alimentar suspeitas em Berlim de que a Comissão Europeia esteja tentando enfraquecer qualquer acordo.

Ao fazer o comentário um dia depois de o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, dizer publicamente que a Grécia poderá ter de sair da zona euro porque os seus líderes não conseguiram negociar novos empréstimos, Juncker apontou a urgência da situação para os governos da UE.

"Eu não acho que nós temos feito progressos suficientes", disse ele a repórteres ao receber Tsipras na Comissão Europeia. "Vou fazer algumas propostas ao meu amigo Alexis. Estou excluindo totalmente o fracasso... este não é um momento para a divisão, é o momento para andar juntos", disse ele, elogiando Tsipras por seguir um "caminho pró-europeu".

Funcionários da Comissão dizem que Juncker, que por muito tempo foi primeiro-ministro de Luxemburgo e assumiu o Executivo da UE em novembro, teme que alguns líderes possam estar subestimando os danos para a integração europeia de um "Grexit" ou "Grexident" (a saída da Grécia da zona do euro).

Schaeuble disse a uma emissora austríaca na quinta-feira que havia um risco de a Grécia deixar o euro se as negociações fracassarem: "Assim como a responsabilidade, a possibilidade de decidir o que acontece está apenas nas mãos da Grécia, e como não sei exatamente o que os responsáveis ​​pela Grécia estão fazendo, não podemos descartar isso", disse ele.

Embora boa parte dos gregos se ressinta dos termos do pacote de ajuda com que os europeus e o Fundo Monetário Internacional socorreram o país desde 2010, a maioria quer manter a moeda única. Isso estaria em perigo se o governo grego ficar sem crédito, o que levaria os bancos gregos a perder o acesso aos euros do Banco Central Europeu.

  Continuação...

 
Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, sauda o premiê grego, Alexis Tsipras, na sede da Comissão Europeia, em Bruxelas. 13/03/2015  REUTERS/Yves Herman