Ibovespa sofre na semana com deterioração da cena política e piora externa

sexta-feira, 13 de março de 2015 17:49 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou a sexta-feira no vermelho, alinhada às perdas em Wall Street, diante do declínio dos preços do petróleo e retomada do fortalecimento global do dólar, enquanto o noticiário relacionado à Petrobras voltou a adicionar desconforto nos negócios.

O principal índice da bolsa paulista, contudo, encerrou longe da mínima do dia, com o fortalecimento de ações beneficiadas pela valorização da moeda norte-americana, como as das companhias de papel e celulose, e dos papéis da mineradora Vale.

O Ibovespa cedeu 0,58 por cento, a 48.595 pontos. Na mínima, chegou a recuar 2 por cento. O volume financeiro da sessão somou 7,4 bilhões de reais. Na semana, o principal índice da bolsa paulista perdeu 2,77 por cento.

"O tom da semana foi a deterioração dos cenários político e econômico", disse o gestor Eduardo Roche, da Canepa Asset Management.

"Isso aumentou a aversão ao risco no mercado doméstico, que culminou nesta sexta-feira com rumores de adiamento na divulgação do balanço da Petrobras e saída de Joaquim Levy do ministério da Fazenda, além do clima de incerteza com as manifestações contra e a favor do governo", observou.

"O clima no exterior também foi negativo, o que contribuiu para acentuar o mau humor no Brasil", acrescentou.

O dólar recuperou a trajetória ascendente nesta sessão, diante da expectativa para a reunião do Federal Reserve na próxima semana, o que contribuiu para a queda nas bolsas em Nova York, com o índice S&P 500 recuando 0,61 por cento, também afetado pelo declínio do petróleo.

No mercado brasileiro, o dólar chegou a tocar 3,28 reais na máxima, encerrando o dia a 3,2490 reais, com alta de 2,77 por cento, com agentes também atentos à continuidade dos programas de intervenções diárias do Banco Central no câmbio.   Continuação...