CCR, JSL, Ecorodovias e pelo menos mais 3 grupos entregam propostas por ponte Rio-Niterói

segunda-feira, 16 de março de 2015 14:29 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - Pelo menos seis grupos entregaram propostas para o leilão da ponte Rio-Niterói marcado para a quarta-feira, no primeiro grande teste do apetite dos investidores por projetos de longo prazo no Brasil e um dia após grandes protestos no país contra o governo federal.

CCR, atual concessionária da ponte, enviou representantes logo cedo para a sede da BM&FBovespa nesta segunda-feira, mas foi o último grupo a entregar seus documentos para a disputa.

Além da CCR, a rival Ecorodovias também entregou proposta. O leilão ainda deve envolver a companhia de transportes e logística JSL, que atualmente não possui negócios de infraestrutura, e a AB Concessões, integrada pelo grupo italiano Atlantia e pelo grupo brasileiro Bertin.

A Reuters colheu as informações junto aos representantes dos grupos que compareceram à sede da BM&FBovespa para entregar seus documentos para o leilão. Foram apresentadas a proposta econômica escrita, a garantia da proposta e documentos de qualificação nesta manhã.

Os outros dois grupos que entregaram propostas preferiram não se identificar. Na quinta-feira, o Conselho de Administração da Triunfo Participações autorizou a participação da empresa no leilão. A companhia, no entanto, não havia confirmado participação na disputa até a publicação desta reportagem.

O certame de quarta-feira, que vai conceder a gestão da ponte por 30 anos e exigir investimentos de 1,3 bilhão de reais, também será o primeiro grande leilão depois que a Operação Lava Jato apertou o cerco nas investigações de corrupção, envolvendo algumas das principais empreiteiras do Brasil e a Petrobras.

O valor do contrato da ponte é de 5,14 bilhões de reais, com base em valores de janeiro de 2014, segundo o edital divulgado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

O leilão vem ainda após o sancionamento sem vetos da Lei dos Caminhoneiros, que, na avaliação das concessionárias de rodovias, aumentou o risco regulatório do setor, por ferir contratos atualmente em vigor.   Continuação...

 
Ponte Rio-Nitéroi. 16/05/2014 REUTERS/Ricardo Moraes