Com ajuda externa, Ibovespa sobe após dia volátil; Usiminas ON dispara 35

segunda-feira, 16 de março de 2015 17:46 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou a segunda-feira em alta, após um pregão volátil, marcado pelo vencimento de opções sobre ações e repercussão dos protestos contra o governo federal, tendo como pano de fundo o desempenho positivo em bolsas no exterior.

O Ibovespa subiu 0,52 por cento, a 48.848 pontos, após oscilar entre queda de 0,41 por cento na mínima e 1,25 por cento na máxima. O volume financeiro, incluindo as operações atreladas ao vencimento de opções, somava 7,7 bilhões de reais.

"O mercado continua refletindo a confusão política que o país está atravessando", disse o gerente de renda variável da Fator Corretora, Frederico Lukaisus. "A volatilidade continua alta, os ativos oscilam muito, porém o volume está fraco, perto do que já tivemos no passado, demonstrando que o dinheiro do mercado em maioria é especulativo", afirmou.

Do total movimento nesta segunda-feira, 2,1 bilhões foram referentes ao vencimento de opções. No ano, o volume médio diário está em 6,6 bilhões de reais.

Em relação aos protestos, o ex-diretor do Banco Central Mario Mesquita, que comanda a área de economia do Banco Brasil Plural, avaliou que enfraquecem o governo, o que, no curto prazo, tendem a dificultar a implementação do ajuste fiscal.

Para o sócio e diretor de estratégia da Arko Advice Thiago Aragão a solução dos problemas de Dilma Rousseff passam pelo PMDB, que ganhou importância após as manifestações de domingo. "O partido pode ser a bala de prata, pode ser a salvação do governo, depende do valor que Dilma quiser dar a ele", disse Aragão.

No exterior, a trégua no enfraquecimento do euro ante o dólar amparou ganhos em Wall Street e também proporcionou suporte na Europa, enquanto o mercado aguarda a decisão de juros nos Estados Unidos nesta semana.

  Continuação...