Reprovação ao governo Dilma dispara a 62%, mostra Datafolha

quarta-feira, 18 de março de 2015 13:14 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A avaliação ruim/péssima do governo da presidente Dilma Rousseff disparou para 62 por cento em março, de forma generalizada por renda e regiões geográficas, na maior rejeição a um presidente desde Fernando Collor de Mello às vésperas do impeachment em 1992, mostrou nesta quarta-feira pesquisa Datafolha.

No início de fevereiro, a avaliação ruim/péssima de Dilma estava em 44 por cento.

A nova sondagem, realizada nos dois dias seguintes aos protestos de domingo contra o governo, mostrou ainda que os que consideram o governo Dilma ótimo/bom caíram para 13 por cento, contra 23 por cento no levantamento anterior.

Segundo o Datafolha, a desaprovação é de pelo menos 60 por cento em todos os segmentos na divisão dos entrevistados por faixas de renda.

Entre os que ganham até dois salários, Dilma é considerada ruim/péssima por 60 por cento, enquanto a desaprovação vai a 66 por cento de dois a cinco salários mínimos e chega a 65 por cento entre os que recebem de cinco salários para cima.

Na separação por regiões, em todas a avaliação ruim/péssima é de pelo menos 51 por cento, taxa registrada na região Norte.

A maior rejeição está no Centro-Oeste, onde 75 por cento avaliaram Dilma negativamente. Mesmo no Nordeste, onde Dilma teve ampla vantagem na eleição de outubro do ano passado, a reprovação foi a 55 por cento.

Na avaliação do deputado Afonso Florense (PT-BA), o governo foi obrigado a fazer alguns ajustes na economia, ao mesmo tempo em que ocorrem investigações sobre a Petrobras, o que permitiu à oposição "momentaneamente" um ambiente mais favorável para defender sua agenda, em função da conjuntura econômica do país.

"Mas eu tenho expectativa de que com a evolução da conjuntura econômica, conjuntura política, com a conclusão das investigações, nós vamos reverter (o quadro). Pesquisa é um retrato e temos que tirar dessa pesquisa os ensinamentos para cumprirmos nossa obrigação", disse Florense a jornalistas após participar nesta quarta-feira de reunião de bancadas do PT, em Brasília.   Continuação...

 
Presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto.   16/03/2015    REUTERS/Ueslei Marcelino