ENTREVISTA-Smiles prevê ano mais difícil para resgate devido à alta do dólar

quarta-feira, 18 de março de 2015 20:50 BRT
 

Por Luciana Bruno

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A empresa de programa de fidelidade de clientes Smiles espera ano mais difícil para os resgates de milhas aéreas por conta da alta do dólar e o consequente encarecimento das viagens ao exterior, disse à Reuters o presidente da companhia, Leonel Andrade.

O executivo prevê, no entanto, continuidade da alta do acúmulo de milhas pelos mais de 10 milhões de participantes do programa de fidelidade da Gol, uma vez que o consumo via cartões de crédito deve continuar subindo, sob ritmo menor.

"Vai ser ano difícil no resgate. Com o dólar do jeito que está, as pessoas vão viajar menos, e usar menos milhas", disse Andrade. "Isso não é nenhum problema, na medida em que (as milhas) continuam entrando, as pessoas vão resgatar em algum momento", completou.

É somente no resgate que as milhas são contabilizadas como receita para a Smiles. Em 2014, o resgate de milhas da empresa subiu 9,4 por cento na comparação com 2013, para 33,6 bilhões, enquanto o acúmulo teve alta de 7,4 por cento, para 41,7 bilhões. Já a receita líquida foi de 808,1 milhões de reais, crescimento de 40,9 por cento ano contra ano.

Andrade não traçou projeções para 2015, mas declarou que a Smiles deve crescer margens de lucro acima do mercado, ganhando espaço de concorrentes como a Multiplus, programa de fidelidade da companhia aérea TAM e líder do segmento.

"Nosso foco é rentabilidade. Quando fizemos o IPO, o projeto era ter 'fair market share' em cinco anos", declarou, referindo-se a uma participação de mercado equivalente à dos concorrentes. A empresa realizou a oferta pública inicial de ações no fim de abril de 2013.

A estratégia da Smiles para crescer vai no sentido oposto à de concorrentes, privilegiando os resgates de passagens aéreas em detrimento do resgate de produtos e serviços. "Ninguém manda milha para a Smiles para trocar por telefone, manda porque quer voar", declarou Andrade.

Atualmente, produtos e serviços representam menos de 3 por cento do total de resgates da Smiles. Em concorrentes, essa porcentagem é superior a 10 por cento, disse Andrade. "O melhor valor percebido ainda é assento de avião", salientou.   Continuação...