Clima ajuda Raízen, da Cosan, a elevar moagem de cana em 2015/16, diz executivo

quinta-feira, 19 de março de 2015 13:11 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - As chuvas das últimas semanas no Sudeste permitiram um aumento da projeção de moagem de cana na safra 2015/16 da Raízen, maior produtora de açúcar e etanol do mundo, disse nesta quinta-feira o diretor-presidente da Cosan.

A Raízen é uma joint venture entre Cosan e Shell para a produção de energia e distribuição de combustíveis.

Em seu relatório de resultados de 2014, divulgado na noite de quarta-feira, a Cosan disse que a Raízen Energia processará 57 milhões a 60 milhões de toneladas de cana na temporada 2015/16, que começa nas próximas semanas, ante 57 milhões a 58 milhões em 2014/15.

"Você teve um atraso de chuvas, mas você teve um período chuvoso no Sudeste bastante acentuado nas últimas semanas, o que fez com que as lavouras ficassem com uma perspectiva boa de produção para o ano", explicou o diretor-presidente da Cosan, Marcos Lutz, em teleconferência com jornalistas.

A empresa também projeta aumento no volume de açúcar vendido na temporada, para 4,2 milhões a 4,4 milhões de toneladas, ante 4,1 milhões a 4,3 milhões na temporada passada. Ao mesmo tempo, foi mantida a projeção de venda de etanol em 1,9 bilhão a 2,1 bilhões de litros em 2015/16, mesmo volume de 2014/15.

Segundo Lutz, a explicação é uma melhora no preço em real da venda do açúcar, em meio à recente alta do dólar.

"Isso decorre de uma perspectiva mais positiva de preço dada a variação cambial. Você tem um aumento relativo da competitividade brasileira... o que reflete também na rentabilidade das empresas", afirmou o executivo.

(Por Gustavo Bonato)