EPE espera peso maior de eólicas na geração de energia a partir de período seco

quinta-feira, 19 de março de 2015 16:54 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Maurício Tolmasquim, afirmou nesta quinta-feira que a geração eólica vai ganhar importância esse ano e deve dobrar em relação ao ano passado.

Segundo ele, muitos projetos vão entrar em operação este ano e ajudar no fornecimento de energia em um ano de baixa afluência e reservatórios de hidrelétricas, principalmente, nas regiões Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste

O presidente da EPE destacou que de 2005 para este ano a geração eólica teve uma evolução significativa para o abastecimento do país. A usinas eólicas tendem a operar mais forte depois do fim do período de chuvas, previsto para abril.

"O período que venta mais é o período mais seco. Vai ter agora a partir de maio a novembro mais geração eólica. Em 2005 era 29 megawatts e em 2014 4.888 MW. Esse ano vamos dobrar para 8.116 MW", disse Tolmasquim durante evento do setor.

A previsão dele é que a expansão eólica continue nos próximos anos podendo chegar em 2016 a 11.405 MW e a 16.554 MW em 2019.