Queda na safra de café do Brasil em 15/16 contribui para déficit global, diz Neumann

quinta-feira, 19 de março de 2015 17:22 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - Um déficit global no mercado de café em 2015/16 somente seria evitado se a produção de fora do Brasil subisse 12 por cento ante a atual temporada, disse a trading alemã de café Neumann Kaffee Gruppe em um relatório trimestral visto pela Reuters.

O relatório afirma que o Brasil, principal produtor mundial, irá colher 45,3 milhões de sacas de 60 kg na safra 2015/16, que começa em maio. O volume ficaria abaixo das 47,9 milhões de sacas da temporada 2014/15 devido ao impacto de uma seca severa.

O déficit global de café no atual ano-safra será de 6,8 milhões de sacas, disse a Neumann, representando 14,7 semanas de demanda. A trading reduziu sua estimativa de produção global em 1,8 milhão de sacas ante seu último relatório trimestral, para 141,9 milhões. Já a previsão para demanda foi estimada em 148,7 milhões de sacas, 1,1 milhão a menos que no relatório anterior.

As exportações brasileiras estão atualmente suprindo este déficit, já que a fraqueza do real frente o dólar oferece forte incentivo para que estoques do país sejam reduzidos para aumentar as vendas, disse o relatório.

A Neumann disse que, dada a queda na produção brasileira, a safra em outros países teria que subir para 105,3 milhões de sacas, o que representaria um aumento de 11,3 milhões de sacas ante o ano safra anterior. O volume seria um recorde histórico, superando as máximas anterior de 97,7 milhões de sacas do ano safra 2013/14.

Outro déficit no ano safra 2015/16 ajudaria a pressionar os estoques globais para perto ou abaixo de mínimas históricas, segundo o relatório.

A previsão da Neumann para a safra brasileira é a menor entre as grandes tradings e a divulgação do relatório ajudou a elevar os preços do café arábica na bolsa de Nova York para uma máxima de 3 semanas nesta quinta-feira.

(Por Luc Cohen)