Azul planeja reduzir oferta de voos em cerca de 10%, diz fonte

segunda-feira, 23 de março de 2015 19:33 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A Azul planeja reduzir em cerca de 10 por cento sua oferta de voos a partir de abril para diminuir custos operacionais, disse à Reuters nesta segunda-feira uma fonte com conhecimento do assunto.

A disparada recente do dólar contra o real aumentou as despesas da terceira maior companhia aérea do Brasil e de todas as suas rivais domésticas com combustível e leasing de aeronaves.

Das 840 decolagens diárias inicialmente previstas para o mês que vem pela Azul, a companhia planeja operar com cerca de 760, afirmou a fonte, que falou sob condição de anonimato.

Apesar da forte queda recente do valor do petróleo no exterior, as empresas aéreas levam algum tempo para sentir os benefícios dessa variação no querosene de aviação, porque elas têm contratos de preços de combustível que são feitos para meses.

"O impacto do dólar mais alto é imediato, o efeito da queda do petróleo no combustível demora", disse a fonte.

Nos últimos seis meses, o preço do petróleo tipo Brent caiu mais de 40 por cento, sendo cotado atualmente na faixa dos 55 dólares por barril. Já a moeda norte-americana acumula valorização de cerca de 35 por cento ante o real nesse período.

O ajuste nas rotas da Azul envolverá também sua recente entrada no mercado de viagens internacionais. O plano de ter a partir de maio uma segunda frequência diária para Orlando, nos Estados Unidos, foi momentaneamente abortado, disse a fonte.

Procurada desde sexta-feira, a Azul não comentou de imediato o assunto. Mais tarde, nesta segunda-feira, a companhia negou que vai cortar até 10 por cento de capacidade.   Continuação...