Siderúrgicas chinesas dizem que há mais fechamentos pela frente e minério de ferro cairá mais

quinta-feira, 26 de março de 2015 10:43 BRT
 

SHIJIAZHUANG, China (Reuters) - Siderúrgicas chinesas alertaram nesta quinta-feira que mais empresas do país podem ir à falência neste ano, e que os preços globais de minério de ferro podem cair até 45 dólar por tonelada conforme a indústria se ajusta aos enormes excessos de oferta e à demanda industrial se enfraquecendo.

Grandes produtoras de minério de ferro como a Vale, a Rio Tinto e a BHP se dedicaram a elevar as ofertas de minério transportado por mar num total de 430 milhões de toneladas durante o período de 2013 a 2020, apostando em crescimentos sustentados da demanda na China.

Na segunda-feira, porém, o índice referencial de minério de ferro para entrega imeditada ao porto de Tianjin na China caiu a 54,80, atingindo inclusive o menor nível desde o lançamento do índice no final de 2008, com as compras fracas da China causando uma queda de quase 60 por cento nos preços desde o começo do ano passado.

Chefes de usinas siderúrgicas falaram, numa conferência em Shijiazhuang, capital da província chinesa que mais produz aço, Hebei, projetaram que os preços cairão ainda mais nos próximos seis meses, sem sinais de melhora no mercado.

"Acredito que 45 dólares seja apenas um pouco maior que os custos de produção das quatro grandes mineradores? É difícil prever, mas os preços não vão subir para acima de 60 dólares e a mínima será de 45 dólares", disse o vice-gerente-geral Shu Hong da Shougang Concord International, subsidiária da Shougang Group [BEJINT.UL], uma das maiores siderúrgicas estatais do país.

Enquanto custos mais baixos de matérias-primas viram os lucros do setor melhorarem na segunda metade do ano passado, pouco fizeram para compensar um mercado fraco ou um salto nos custos de adequação ambiental, e Shu e outros disseram que mais fechamentos de usinas devem ocorrer neste ano.

(Por David Stanway)